HISTÓRICO

O primeiro curso de Geografia, na Bahia, foi implantado em 1941, na Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da Universidade Federal da Bahia, formando-se ao mesmo tempo Licenciados e Bacharéis em Geografia e História. Entretanto, o seu reconhecimento aconteceu através do Decreto no. 17.206, publicado no Diário Oficial da União (DOU), do dia 21/11/1944. Na década de 50, os dois cursos tornaram-se independentes.

Até 1959, a Geografia na Bahia restringia-se exclusivamente ao ensino. Naquele ano, a criação do Laboratório de Geomorfologia e Estudos Regionais representou uma proposta acadêmica inovadora, principalmente em relação à iniciação a pesquisas desenvolvidas pela equipe de pesquisadores, orientados para as linhas Urbano-Regional e Estudo do Quadro Natural, com destaque para a Geomorfologia. A década de 60 pode ser considerada a época áurea da Geografia na Bahia: o Laboratório de Geomorfologia e Estudos Regionais atraiu jovens geógrafos do país e do exterior, que se agregaram ao grupo dinâmico já existente. A motivação era constante: trabalhos de campo, levantamento de dados, análises estatísticas, leituras comentadas, seminários, cursos, reuniões científicas de apresentação de trabalhos e de avaliação, enfim, um ambiente de efervescência cultural e científica (Silva, 2001:16).

Com a reforma universitária de 1968, ocorreu uma renovação no Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, com a agregação dos pesquisadores do Laboratório de Geomorfologia e Estudos Regionais, época em que o Departamento instalou-se no Instituto de Geociências.

Na década de 70 houve uma grande demanda de bacharéis em Geografia, motivada pela regulamentação da profissão de geógrafo (Lei 6.664/79) e pela criação de diversos órgãos do Estado, que admitiram geógrafos em seus quadros profissionais. Em 1980, foi oferecido o Curso de Especialização em Análise Espacial, por dois anos consecutivos, curso esse que serviu de embrião para a criação da Pós-Graduação em Geografia “stricto sensu”. Em 1994 teve início o Mestrado em Geografia, com áreas de concentração em estudos urbano-regional e meio ambiente, despertando o interesse de profissionais de Geografia e áreas afins de várias universidades e organismos do estado da Bahia, de outros estados e mesmo do exterior. Em 2002 houve uma reformulação na área de concentração do mestrado, passando para “Análise do Espaço Geográfico”.

O curso noturno foi aprovado em 11/07/2006, através do parecer no. 375/06 da Câmara de Ensino de Graduação da UFBA e teve a sua primeira turma a partir do primeiro semestre do ano de 2007.

Em 2007, atendendo as exigências do MEC, foi feita uma atualização e adequação do currículo de graduação, para renovação do reconhecimento do curso.

Atualmente, o corpo docente do Departamento de Geografia é formado, em sua maioria, por doutores, que dispõem de uma larga experiência em ensino e pesquisa no campo da ciência geográfica. Na avaliação do MEC-PROVÃO-2003, os alunos do curso de Geografia da UFBA obtiveram o melhor desempenho dentre todos os estudantes dos cursos de Geografia existentes no país, sendo atribuído ao curso da UFBA o conceito “A”, o que vem reforçar o compromisso e a qualidade das atividades de ensino e pesquisa desenvolvidas por parte do seu corpo docente. O interesse cada vez maior da sociedade contemporânea pelas questões ambientais, pelo planejamento e gestão territorial, tem contribuído para colocar a Geografia numa posição de vanguarda. As perspectivas de atuação dos geógrafos nos órgãos de planejamento são cada vez maiores, sobretudo a partir da adoção das novas tecnologias. No Quadro 1 demonstra-se a concorrência do curso de Geografia no Concurso Vestibular. QUADRO 1.

Concurso Vestibular (Diurno) – UFBA

CONCURSO VESTIBULAR DIURNO
ANOS VAGAS INSCRITOS C/V ANOS VAGAS INSCRITOS C/V
1975 20 52 2,60 1997 40 131 3,25
1976 20 58 2,90 1998 40 324 810
1977 20 63 3,15 1999 40 284 7,10
1978 20 57 2,85 2000 40 321 4,70
1979 20 72 3,60 2001 40 431 10,78
1980 40 100 2,50 2002 40 326 8,15
1981 40 111 2,77 2003 40 371 9,28
1982 40 148 3,70 2004 40 279 6,98
1983 40 129 3,22 2005 60 331 5,52
1984 40 121 3,02 2006 60 414 6,90
1985 40 105 3,62 2007 60 306 5,10
1986 40 125 3,12 2008 60 276 4,60
1987 40 208 5,20 2009 60 228 3,80
1988 40 154 3,85 2010 60 195 3,25
1989 40 80 2,00 2011 60 140 2,33
1990 40 45 1,12 2012 60 116 2,40
1991 40 141 3,52 2013 60 265 4,41
1992 40 148 3,70 2014 60 266 3,76
1993 40 159 3,97 2015 60 240 4,00
1994 40 268 6,70    
1995 40 228 5,70    
1996 40 353 8,82 19    

Anos Vagas Inscritos V/C Ano Vagas Inscritos C/V Ano Vagas Inscritos C/V

CONCURSO VESTIBULAR NOTURNO Sorted ascending
2007 40 144 3,60
2008 40 240 6,00
2009 40 92 2,30
2010 40 124 3,10
2011 40 100 2,50
2012 40 56 1,70
2013 40 144 1,02
2014 40 240 2,32
2015 40 65 1,62
ANOS VAGAS INSCRITOS C/V

C/V = relação C (candidato) / V (vaga). Fonte: Serviço de Seleção, Orientação e Avaliação (UFBA/2015).

2 JUSTIFICATIVA

O novo currículo dos cursos de Geografia justifica-se devido o processo do conhecimento ser cumulativo, implicando em constantes mudanças, produto da reflexão a partir dos desafios postos pelo cotidiano. Neste sentido, uma atualização dos conteúdos programáticos das disciplinas, ora em vigor, não atenderia, forçosamente, a todas estas necessidades. É importante uma reorientação do currículo atual, de modo a incorporar novos conhecimentos produzidos e retrabalhados em nível de conteúdo, dando-lhes maior organicidade e integração além de atender às exigências das leis que regulamentam as profissões de geógrafo e do profissional do Ensino Fundamental e Médio.

A Geografia, com o avanço do conhecimento e as grandes transformações por que passa o Mundo, tornou-se mais complexa. E em decorrência disso, fazem-se necessárias permanentes revisões, tanto no modo de pensar como no modo de produzir a ciência geográfica.

A proposta curricular baseia-se nos seguintes princípios:

 Filosóficos e Pedagógicos

 promoção de uma formação humanística e crítica do aluno do curso de Geografia;  estudo da Geografia como uma ciência voltada para o ensino e para o exercício profissional;  desenvolvimento de uma prática pedagógica que contribua para o conhecimento do país e do mundo, considerando seus aspectos socioeconômicos, políticos e ambientais;  produção do conhecimento, garantindo sua atualização científica e tecnológica;  reflexão permanente e profunda sobre o raciocínio e a prática geográfica.

 Didáticos e Técnicos

A nova estrutura curricular é caracterizada por um núcleo de disciplinas básicas de formação profissional, comum para as duas habilitações (Licenciatura e Bacharelado); um núcleo de disciplinas de conteúdos complementares, oriundos de áreas correlatas à Geografia, e um grande elenco de disciplinas optativas atendem a diversas áreas temáticas como: Urbano/Regional, de Meio Ambiente, Instrumental e Pedagógico. As disciplinas do curso, voltadas, principalmente, para teoria, método, técnicas e as optativas, em particular as departamentais, estão direcionadas, sobretudo, para os temas mais atualizados da ciência geográfica.

3 BASE LEGAL DA PROPOSTA CURRICULAR

A nova proposta curricular para o curso de graduação em Geografia fundamenta-se na atual legislação que norteia os currículos dos cursos de graduação em vigor no país.

 Lei 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação, que estrutura e normatiza o funcionamento da educação brasileira em todos os níveis de ensino.

 Parecer/CNE 776/97, referente às Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação, dando autonomia às IES (Instituições de Ensino Superior).

 Parecer CNE/CES 583/2001, que trata da orientação para as Diretrizes Curriculares dos cursos de Graduação.

 Parecer CNE/CES no. 492/2001, que trata das Diretrizes Curriculares dos cursos de Geografia, História, Filosofia, Serviço Social, Letras, Arquiviologia e Museologia, determinando para os respectivos cursos as competências e habilidades, os conteúdos curriculares, estágios e as atividades complementares.

 Parecer CNE/CES no. 1.363/2001, que alterou o Parecer 492/2001, que trata da aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Geografia.

 Resolução CNE/CP 2, de 19/02/2002, institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior.

 Resolução CNE/CES no. 14, de 13/03/2002 – Estabelece as Diretrizes Curriculares para os Cursos de Geografia.

 Lei 6.664 de 26/06/1979, que disciplina o exercício da profissão de geógrafo no Brasil, e que é regulamentada pelo Decreto no. 85.138, de 15/09/1980.

 Resolução no. 323, de 26/06/1987, que dispõe sobre o registro dos geógrafos nos Conselhos Regionais de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA).

 Resolução CNE/CES no. 02 de 18/05/2007 – Dispõe sobre a carga horária mínima e procedimentos relativos à integralização e duração dos Cursos de Graduação, bacharelados, na modalidade presencial. Curso de Geografia (bacharelado – carga horária mínima 2.400 h).

 Resolução no. 05/2003 da Câmara de Ensino de Graduação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFBA, que estabelece e normatiza a reestruturação dos cursos de graduação e estrutura a apresentação dos novos projetos pedagógicos para os cursos da Universidade.

 Lei Federal no. 10.436 de 24/04/2002 – Secretaria de Educação Especial – MEC. Resolução 01/2009 – Câmara de Ensino de Graduação – UFBA, autoriza a SUPAC a inclusão nas grades curriculares da disciplina Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS como componente curricular.

4 OBJETIVOS GERAIS

1. Formar, capacitar e habilitar profissionais para o exercício de atividades técnicas, de pesquisas e de magistério;

2. Possibilitar ao graduando a formação de um pensamento crítico, estimulando o desenvolvimento à investigação teórica, científico-técnica e didático-pedagógica, em Geografia;

3. Contribuir para a atuação consciente do futuro geógrafo na transformação da realidade socioespacial e na construção da cidadania;

4. Habilitar profissionais para o exercício de suas atividades em equipes interdisciplinares;

5. Formar profissionais com amplo domínio das técnicas aplicadas à ciência geográfica.

5 PERFIL DO EGRESSO

O profissional de Geografia deve estar capacitado para desenvolver atividades técnicas, científicas e educativas, relacionadas ao estudo da estrutura e da organização do espaço geográfico. O Curso de Geografia oferece duas habilitações: Bacharelado (Diurno), Licenciatura (Diurno e Noturno).

5.1 LICENCIATURA

O licenciado em Geografia deve estar habilitado a ministrar aulas que enfoquem o conhecimento geográfico nos ensinos Fundamental e Médio. O curso direciona-se à formação de professores que tenham um amplo domínio das grandes áreas da Geografia: o estudo da natureza, as relações sociedade x natureza e o estudo regional. Além disso, o professor de Geografia deve conhecer e utilizar as principais técnicas de natureza pedagógica e cartográfica.

5.2 BACHARELADO

O bacharel em Geografia deve ser capaz de buscar referenciais teóricos relevantes do ponto de vista geográfico, com o objetivo de enquadrar eficientemente as questões a serem trabalhadas. Este profissional poderá atuar em institutos de pesquisa, federal e/ou estadual, prefeituras, ONG’s e outras instituições que desenvolvam projetos relacionados às questões ambientais e/ou urbano-regionais. Deve ainda ter conhecimento e domínio de todas as áreas da Geografia, incluindo as técnicas cartográficas, de sensoriamento remoto e de geoprocessamento, que são de extrema importância para os estudos ambientais, assim como para o planejamento e a gestão territorial.

6 COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

6.1 GERAL

O profissional da Geografia (licenciados e bacharéis) além das exigências básicas necessárias à construção de conhecimentos específicos deve desenvolver competências e habilidades de natureza científica que permitam a sua inserção no mercado de trabalho. A formação do profissional em Geografia requer domínio nas pesquisas teóricas, de campo e de laboratório, onde possa estabelecer uma conexão entre a teoria e a prática vivenciada.

O licenciado e o bacharel em Geografia devem ter uma ampla capacidade de analisar documentos geográficos nas suas mais diversas especificidades.

É da competência do licenciado em Geografia, o domínio dos conteúdos geográficos ministrados nos ensinos Fundamental e Médio, com o propósito de levar o aluno a refletir e a formar um pensamento crítico sobre os diversos temas focalizados pela Geografia nas várias escalas de abordagem.

É da competência do bacharel em Geografia, o estudo da paisagem em seus diferentes níveis de interação processual, a projeção e a condução de pesquisas relativas ao planejamento e gestão do território em seus diversos objetivos e escalas de abordagens.

6.2 ESPECÍFICA DO LICENCIADO

 Dominar as dimensões sociopolíticas e pedagógicas do ambiente escolar;

 Dialogar com o sujeito envolvido no processo educacional considerando as diversas relações;

 Organizar o conhecimento espacial adequando ao processo de ensino-aprendizagem em Geografia;

 Elaborar e implementar projetos do ensino nas diversas áreas da Geografia;

 Dominar os fundamentos e conceitos básicos da Geografia nos diversos níveis do ensino Fundamental e Médio.

6.3 ESPECÍFICA DO BACHAREL

 Identificar, analisar e representar os diversos sistemas ambientais;

 Analisar e explicar a distribuição espacial dos recursos naturais e suas modalidades de uso;

 Analisar e interpretar os diversos dados de informação geográfica e estatística referente a produção do espaço;

 Dominar as novas geotecnologias relacionadas à pesquisa geográfica;

 Dominar as diversas interfaces dos estudos geográficos com outras áreas do conhecimento.

6.4 PERFIL DO LICENCIADO

O professor de Geografia, graduado pela UFBA, deve ser capaz de:

 buscar um conhecimento sólido do saber geográfico e ter capacidade de ministrar o conhecimento geográfico de forma plena, tanto no ensino Fundamental como no Médio;  conhecer as técnicas pedagógicas que possam ajudá-lo a ministrar aulas sobre os diversos temas de interesse geográfico;

 saber aplicar e dominar as técnicas adequadas ao processo ensino- aprendizagem, envolvendo, quando necessário, a elaboração de tarefas específicas, relacionadas ao conhecimento geográfico;

 buscar referências teórico-conceituais relevantes sobre temas de natureza geográfica;

 formar um pensamento crítico, estimulando o desenvolvimento da investigação teórica, técnico-científica e didático-pedagógica em Geografia;

 produzir material didático-pedagógico da área de Geografia;

 promover o entendimento da complexidade do fato geográfico e das relações de interdependência dos fenômenos da natureza e destes com os resultados da ação antrópica e social em si e com a totalidade;

 ter uma postura crítica sobre a política educacional do país, destacando o papel da Geografia na formação do cidadão.

6.5 PERFIL DO BACHAREL

O geógrafo, graduado pela UFBA, deverá ser capaz de:

 buscar referências teóricas relevantes do ponto de vista geográfico, com o objetivo de enquadrar plena e eficientemente as questões a serem trabalhadas;

 optar por um caminho metodológico, que possa conduzir à análise de um problema espacial a ser investigado;

 aplicar técnicas de análise adequadas ao seu objeto de investigação e à escala de abordagem;

 elaborar e/ou participar de projetos e diagnósticos nas diversas áreas do conhecimento geográfico;

 desenvolver um trabalho científico de acordo com as diferentes concepções da Geografia;

 conhecer as atribuições fundamentais do geógrafo, respeitando a ética profissional;

 desenvolver uma consciência crítica dos problemas do mundo contemporâneo.

COORDENAÇÃO DO COLEGIADO

* Nome: Daria Maria Cardoso Nascimento