O curso de Geofísica

Em 25.07.90, o Conselho Departamental do Instituto de Geociências, reunido sob a presidência do seu Diretor, Prof. Francisco José Gomes Mesquita, solicitou ao Departamento de Geologia e Geofísica Aplicada a elaboração de um ante-projeto para a implantação do Curso de graduação em Geofísica na UFBA. Dessa forma, aquele Departamento constituiu a comissão composta pelos professores Hédison K. Sato, Marcos A. B. Botelho, Joaquina L. Leite e Milton J. Porsani, que elaborou uma proposta de currículo, aprovada em plenário em janeiro de 1991. Faziam parte da proposta o estabelecimento da filosofia, diretrizes, elenco de disciplinas e carga horária do que seria o Curso de Graduação em Geofísica. Após diversas diligências, este foi aprovado pela Câmara de Ensino de Graduação (CEG) da UFBA, em 30.10.91, com a criação de 15 (quinze) vagas aprovadas pela CEG para o vestibular do ano seguinte - 1992. Apesar das dificuldades econômicas atuais do País e da crise em que vivem as universidades brasileiras, o avanço acadêmico-científico ocorrido nas três últimas décadas na área da Geofísica na UFBA, é uma verdade inquestionável, haja vista que no Instituto de Geociências, desde 1969, um grupo de professores e pesquisadores se consolidou na forma de Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Geofísica (PPPG-UFBA), hoje Centro de Pesquisa em Geofísica e Geologia (CPGG). Este Centro conta com uma infraestrutura moderna e adequada para o ensino e pesquisa, tendo já formado inúmeros mestres, doutores e pós-doutores. A proposta de criação do Curso de Graduação em Geofísica, na época, foi fundamentalmente baseada na experiência de ensino e pesquisa acumulada no Instituto de Geociências, e em particular, no Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Geofísica, com enfoque para os ramos da geofísica aplicada à exploração de petróleo, água subterrânea, engenharia geotécnica e meio ambiente, possibilitando ao estudante a oportunidade de se aperfeiçoar em tópicos de seu interesse, através de disciplinas optativas e de um trabalho de graduação. Para atingir a meta proposta, o curso foi estruturado em quatro blocos:

  • o primeiro formado por disciplinas básicas da física (04), matemática (07), química (01) e geologia (04);
  • o segundo formado por disciplinas obrigatórias de geofísica (15), que têm início no terceiro semestre;
  • um terceiro composto por disciplinas optativas que dão ao estudante a oportunidade de personalizar a sua qualificação;
  • o quarto, constituído de um trabalho de graduação com 450 horas, a ser desenvolvido durante dois semestres consecutivos, onde o estudante consolida os diversos conhecimentos e aprofunda os tópicos de seu interesse, buscando a sua profissionalização.

Essa estruturação tem por objetivo formar profissionais com aptidões distintas, em função da escolha das disciplinas optativas e do tema do trabalho de graduação, agregando à sociedade, profissionais aptos a exercer atividades em diversas áreas, inclusive em condições de se aperfeiçoar academicamente em cursos de pós-graduação. A prática da interdisciplinaridade visa capacitar o geofísico a atuar em conjunto com profissionais de outras especialidades, propondo soluções a problemas nas áreas de exploração de petróleo, de minerais e de água subterrânea, engenharia geotécnica, monitoramento em questões de meio ambiente, e em obras de engenharia, arqueologia, entre outras.

Principais indicadores do curso de Geofísica

O curso de graduação em Geofísica exige o cumprimento de 32 disciplinas obrigatórias, totalizando 125 UC/2865 horas, 125 UC/240 horas em disciplinas optativas (geralmente quatro disciplinas) e 3 UC/45 horas em disciplinas eletivas. As disciplinas obrigatórias e optativas são de responsabilidade de departamentos dos institutos de Física, Matemática, Química e Geociências, e se desenvolvem nos períodos matutino e vespertino, sendo que em determinados semestres torna-se necessário ocupar os sábados e domingos com atividades de classe e de campo. O tempo mínimo de integralização é de quatro anos e o máximo de sete anos. Em quatro anos, a carga horária semanal média é de 26 horas. O acesso ao curso de Geofísica é feito, normalmente, através do processo seletivo geral da Universidade, e são disponibilizadas 15 vagas/ano. Nos últimos cinco anos, a relação candidato/vaga apresentou os seguintes valores:

Ano 1995 1996 1997 1998 1999 2000
Número de candidatos 67 35 29 56 38 39
Número de vagas 15 15 15 15 15 15
Relação cand/vaga 4,5 2,3 1,9 3,7 2,53 2,60

Demonstrativo dos alunos do Curso de Graduação em Geofísica, no período de 1995 a 1999 - ingressos/graduados/ativos/evasão:

Ano 1995 1996 1997 1998 1999
Alunos Ingressos 16 16 15 19 22
Graduados - - - - 02
Ativos em 99.2 6 8 11 15 17
Evasão 10 8 4 4 3

O Coordenador

  • Nome: Hédison Kiuyti Sato
  • Regime de trabalho: Dedicação exclusiva
  • Titulação: Professor Adjunto, nível IV
  • Formação acadêmica:
    • Engenheiro de Eletrônica ( ITA, 1974 )
    • Mestre em Geofísica ( Ufba, 1979 )
    • Doutor em Geofísica ( Ufba, 1996 )

Site do Curso

Visite o site do curso de Geofísica.